Archive | abril 2008

Rumo a São Chico – SC – 1° de Maio

Pois bem, véspera de viagem, apesar que amanhã já tem “bonde” na estrada.

O objetivo um só : andar de moto e encontrar com os amigos para celebrar a vida.

Será um encontro da velha com a jovem guarda, todos euforicos para sentir o que essa lista tem de melhor : a magia de fazer amigos.

boa viagem a todos em breve estaremos juntos.

abrçs

Seo Craudio

ps- como quinta é dia do trabalho vale lembrar a máxima :

“mais vale andar de moto na chuva o dia inteiro, que meio dia trabalhando”

Imagem do dia

Para deixar como papel de parede

1 – clique na foto

2 – clique na foto ampliada com a tecla direita do mouse e selecione – definir como plano de fundo –

Fácil.

Abraços

Seo Craudio 

A Vida é Processo

Entender a vida é cosia complicada, o que deveria ser o contrário: simples.

Simples como o nascer e morrer de cada dia e toda a transformação que se passa durante esse período diante de nossos olhos e que pela velocidade que o mundo “moderno” impõe, nada ou quase nada é percebido.

Lendo o livro “A Memória das Chuvas, Juliana Roversi Zago”, destaco um trecho a ser refletido.

trecho este extraído do prefácio assinado por Norma Felicidade Lopez da Silva Valencio

“… o idoso não é o que se paralisa ante as mudanças, mas o que tem serenidade para conferir o real significado às coisas que se alteram como forma, mas que mantêm seu conteúdo…

… Não é apenas aquele cuja  pressa é, na fala e gestos, ausente, mas o que sabe que

a vida é processo,

que o sentido de hoje é muito mais rico quando somado ao ontem

e tomado como referência para o amanhã. “

Simples assim.

Obrigado pelo presente Jú.

Seo Craudio

Shadow 600 – na Bucovicinal da Vovó Ema

Levantei disposto a conhecer uma bucovicinal de Governador Valadares – MG.

Tudo estava a favor, a temperatura amena, o céu parcialmente nublado ( passei até um pouco de frio ) uma exceção para uma cidade que só tem duas estações no ano : Verão e Inferno.

Meu cunhado, o Renato, acabara de comprar uma beldade – Shadow 600 – 2005 com apenas 4600 km; então a hora era agora, unir o útil ao mais que agradável: conhecer a bucovicinal e testar a moto.

Saí sem muito alarde, mas estava para lá de ansioso para motocar pelas cercanias valadarenses. Tinha duas escolhas:  uma margeando o rio Doce ou seguir para estrada que liga Valadares à Guanhães, cidade natal da “Vó Ema” que nesta segunda-feira passada, dia 21,  completou 97 anos, uma benção. 

E por ela que resolvi seguir, a BR 259.

Para chegar nela, um pouquinho da tão temida BR 116, que aqui em Minas também não foge muito a fama, não tem acostamento, nem sinalização, uma vergonha, mas deixa para lá meu destino era outro e logo cheguei nele, a Bucovicinal da Vovó Ema (aproveitei para renomear a estrada).

Nela chegando já de cara sou agraciado por um belíssimo túnel formado pelas copas das árvores que a margeiam, depois, no decorrer do percurso por vários momentos passei por corredores formados pelos bambuzais, e para completar curvas e mais curvas, algumas suaves e graciosas e outras feitas para raspar a pedaleira, tudo como manda o manual das Bucos.

“_a curva era tão fechada sô, que deu até para ver a placa traseira da moto uai.

 

A velocidade sempre na casa dos 70km/h curtindo mesmo o visual e os aromas.

Vez ou outra, sentia aquele cheirinho gostoso da comida mineira provavelmente vindo de algum fogão a lenha de alguma casinha qualquer a beira da pista, ou então o cheiro das fazendas e dos pastos.

No caminho Santo Antônio do Porto, um vilarejo com seus moradores na beira da calçada ou nas portas dos bares vendo a vida passar acompanhado de uma boa prosa ou um copo de cachaça, e obviamente todos pararam para ver o pequeno grande anão passando com a reluzente Shadow.

Depois de 1 hora de motocada era hora de retornar e o caminho seria o mesmo, mas aí a gente faz diferente e na volta forcei um pouco mais a tocada atingindo a um certo ponto de uma grande reta os 150 km/h, afinal meu objetivo era testar a moto… certo ?

Entrei na cidade por um lado que ao subir um pequeno morro  dei de cara com o Pico do Ibitura ao fundo num imenso cartão postal. De lá direto para o Bar do Moraes tomar uma gelada com meu concunhado Serginho onde ficamos ali contando causos e rindo da vida.

Nisso chega o Renato :

“_ Ei ! Ei ! Aqui ó, tá boa a motoca não está ?

E mais que depressa mandei no mesmo tom :

“_ Renato, Trem novo é bom dimais da conta sô ! Parabéns, só alegria.

E foi assim então que conheci de moto, a Bucovicinal da Vovó Ema, e fiquei 180 km mais feliz.

Abraços

Seo Craudio

Serra da Fartura

Foi um desses finais de semana para ficar para sempre na memória.

Saímos de C.U.  [ eu e meu irmão o Danucho ] meio que sem destino certo, mas com a intenção de que fosse algo especial; aí na primeira abastecida lembrei de uma bucovicinal que não conhecia situada entre Leme e Aguaí, passando por Taquari Ponte.

Depois de alguns quilometros, coisa de 40 ou 50, achamos a tal da bucovicinal de Taquari Ponte, cidade quase que fantasma, só faltou o feno rolando na estrada. Parada para foto e segue então para Aguaí na busca do “trinômio perfeito”  IGREJA = PRAÇA = BAR.

Garganta gelada, decidimos ir até Poços de Caldas-MG, logo alí ó.

A estrada deixava de ser vicinal e passava para o profissionalismo paulista, a SP-342, duplicada, asfalto perfeito, sinalizada, enfim feita para uma tocada forte só curtindo as motos Marota e Flicka.

Passamos por São João da Boa Vista, Águas da Prata e o destino Poços de Caldas.

Foi quando quase na divisa de SP com MG, vi uma placa : MIRANTE.

Fiz sinal para o Dan e sem hesitação entramos na esperança de chegar no topo para contemplar o belo visual que a região oferece, e de cara pensei : …achei a BUCOVICINAL, achei o algo especial para fazer com meu mano…

Entramos na estradinha que de cara já começava com uma subida bem íngreme, e depois mais curvas e mais subidas, até que apareceu de novo a placa : Mirante, seguido de uma estrada de terra…

Putz, que pena, não ia colocar a moto em estradinhas de terra, moto custom foi feita para andar em estradas asfaltadas…

Logo a seguir uma cidadezinha bem pequena quase uma vila – São Roque da Fortuna.

Parada para os abastecimentos, e em segundos viramos atração e a galera com um sotaque meio caipira meio amineirado começaram com as perguntas de praxe :

_ dondeseisção ? _cuantascilindrads ? _andamuito ? _nó ! isso deve corrê que só…

Coisa linda, adoro isso, as vezes nem sei o que gosto mais, se é andar de moto e toda a emoção e beleza que as estradas oferecem, ou andar de moto para fazer amigos por onde se passa.

E no meio dessa conversa super amistosa, vem um cara e pergunta :

_ Para onde estão indo? Querem conhecer uma estradinha linda?

_ Craro Creuza.

Serra da Fortuna, nome da cidade.

E lá fomos…
Caraca.. Que coisa linda, maravilhosa, de uma imensidão de tirar o folego, e não é uma serra só não, são várias em uma, a primeira é a própria Serra da Fortuna, depois vem a do Deus me Livre, dá para imaginar? Uma serra com esse nome nem precisa de adjetivos, na seqüência a da Paulista e por fim a do Padre. É pouco ou quer mais? E tudo isso em um asfalto impecável e com uma vista do horizonte sem fim. É de cair o queixo.

Nem preciso falar que foi maravilhoso essa 1° motocada “batismo” com meu irmão, nos divertimos muito, teve até o quase strike do ônibus sem freio, mas essa fica apra outro post…

Valeu Dan, esse “post” foi para matar a saudade da “nossa” bucovicinal.

Abrçs

Seo Craudio

 

 

Video do dia

Um clipe para “arrebentar”.

abrçcs

 

Seo Craudio

Let´s go rock com Pepeu Gomes 20 Anos de Discografia Instrumental

Pois é, moto está para ao bom e velho rock and roll… assim como o bom e velho rock and roll está para as guitarras.

E então ? Let´s go rock ?

Ele é considerado pela revista americana Guitar World como um dos dez melhores guitarristas do mundo. Não, não estou falando do Santana, nem do Hendrix nem do Tom Morelo, estou falando de Pepeu Gomes.

Se você não bota fé, é porque não conhece o trabalho dele, ou só conhece as populares – ” Eu também Quero Beijar ” – ” Masculino e Feminino “, entre outros hits que foram inclusive temas de novelas.

A vida do cara começou cedo, aos 7 já tocava bandolim, aos 11 criou sua primeira banda e nos anos 70 ao lado de Moraes Moreira, Baby do Brasil (então Baby Consuelo), Paulinho Boca de Cantor, Galvão, Jorginho, Dadi, Bolacha e Baixinho o grupo Novos Baianos,  grupo que foi tido como um dos principais renovadores estéticos da música brasileira na década.

No final da década de 80, voltou-se para a música instrumental, participando de festivais de jazz e lançando, em 89, o “Instrumental On The Road”.

Nos anos 90 dedicou-se mais a seu trabalho como guitarrista, relendo velhos sucessos como os chorinhos “Brasileirinho” (Waldir Azevedo) e “Noites Cariocas” (Jacob do Bandolim), presentes no início de sua carreira e que fizeram sua fama de virtuose.

Bem chega de falar do cara, segue dois links do rapidishare que divido com vocês esse grande prazer que é ouvir Pepeu Gomes.

Pepeu Gomes 20 Anos de Discografia Instrumental,

DISCO 1
1 Um abraço no Bonfá (João Gilberto)
2 Garota de Ipanema (Tom Jobim – Vinicius de Moraes)
3 Pot-pourri: • Lamento (Pixinguinha) • Noites cariocas (Jacob do Bandolim) • Aquarela do Brasil (Ary Barroso) • Assanhado (Jacob do Bandolim) • Brasileirinho (Waldir Azevedo)
4 Tico-tico no fubá (E.Barreiros – Zequinha de Abreu) • Mus. Inc. “Granada” (A. Lara)
5 Amazônia (Pepeu Gomes)
6 Cartagena (Luciano Alves – Pepeu Gomes)
7 Sem essa de rock (Pepeu Gomes)
inédita
8 Malacaxeta (Pepeu Gomes)

9 Saudação nagô (Pepeu Gomes)
10 Fissura (Pepeu Gomes)
11 Linda Cross (Pepeu Gomes)
12 Belo Horizonte (Pepeu Gomes)
13 Odette (Dunga – Herivelto Martins)
14 Toninho Cerezzo (Pepeu Gomes)
15 Alto da Silveira (Pepeu Gomes)
16 Didilhando (Didi Gomes – Pepeu Gomes)
17 Tambaú (Pepeu Gomes)
18 Buchinha (Pepeu Gomes)
19 Flamenguista (Pepeu Gomes)

OLHA O LINK AQUI         http://lix.in/317b53c7

DISCO 2
1 Chicana (Pepeu Gomes)
2 Luz de Guadalupe (Pepeu Gomes)
3 Agogô [Pra Ralph McDonald] (Pepeu Gomes)
4 120 Watts de pura distorção (Didi Gomes – Luciano Alves – Pepeu Gomes)
5 Calor Humano (Armandinho – Pepeu Gomes)
6 Rocha Miranda (Pepeu Gomes)
7 O som está solto (Pepeu Gomes)
8 Delicado (Waldir Azevedo)
9 Sabor de salsa (Baby Consuelo – Didi Gomes – Pepeu Gomes)
10 Arco-íris (Luciano Alves – Pepeu Gomes)
11 Batucar do samba (Pepeu Gomes)
12 Dos harmônicos (Jorginho Gomes – Pepeu Gomes)
13 Baby blue (Pepeu Gomes)
14 Sensual (Paulo Casarin – Pepeu Gomes)
15 Fazendo você sonhar (Pepeu Gomes)
16 Swing por natureza (Pepeu Gomes)
17 Rock in Rio (Paulo Casarin – Pepeu Gomes)
18 Brasileirinho (Waldir Azevedo)
19 Mirabay (Pepeu Gomes)
20 Na Baixa do Sapateiro (Ary Barroso)

OLHA O LINK AQUI     http://lix.in/8ee8b2ef

é isso aí, let´s rock !

 

Abraços

Seo Craudio

Imagem do dia com a frase do dia

“Todo homem tem direito de ir para o céu, não importa como”

Seo Craudio

imagem-do-dia.jpg

Cara nova



Pois é cara nova para o blog. Talvez para combinar com meu novo corte de cabelo tratado pelo eletrecista fio por fio :).

Assim deixei o blog mais leve, ao invés de preto agora tudo branquinho, e assim assumo a cor branca também em minha alma. Quero tudo branco. Branco com a família, branco com meu trabalho, branco com meus amigos… tudo assim… na PAZ.

Neste final de semana fiz um repeteco de motocada, fui ao bar do Véio na bucoviceral que liga Limeira a Artur Nogueira.

A útlima vez que tentei ir lá foi com a galera da lista Shadow, mas o bar estava fechado pois era dia santo e aqui no interior isso é coisa séria, e com isso acabamos mudando de bar e fomos para o Pilequinho em Artur Nogueira, deixando a visita ao Véio e o “zoiudo” para outro dia.

E asim resolvi voltar. Chama os amigos SombreroS e vamos lá aproveitando a presença do Léo. Lá chegando o ritual de sempre; para a moto, desce, tira o capacete/luva/jaqueta, e parto para dentro do bar louco para ver o Véio e para fazer as piadinhas de sempre:

_E aí Véio, se tá acabado heim? Parece que cada vez que eu venho aqui cê tá mais veio?

E ele já com a resposta na ponta da língua manda:

_Ê lá! Se vai vê “comoeu”duro!

Mas para meu desencanto não vi o Véio e sim a netinha dele com seus 15 anos mais ou menos… Espero um pouco até ela servir uma pinga para um “habitué” e pergunto:

_Cadê aquele Véio safado? (achando que ele tinha dado uma corrida até o centro comprar algo… e descubro que o Véio foi embora.

Nem sei se ele foi por vontade própria, afinal ele gostava muito daquilo. Gostava do bar cheio de pingaiados e aquela sujeira típica de boteco, da estante toda empoeirada com uma coleção de cachaças e cinzanos, das cartelas de torresmo pururuca e dos montes de caixas de fósforos para acender os cigarros de marcas que nunca ouvimos falar, sem contar claro os ovos coloridos e as “salchichas” avermelhadas dando o toque final na decoração.

Poxa, eu sabia que o Véio amava tudo aquilo, as vezes até reclamava da vida, mas também era da vida de todos os clientes que ele sabia, e todos, como diria meu avô, eram gente boa, mas não prestavam…

E mesmo assim o Véio resolveu partir?

Talvez tenha abreviado a partida devido ao cigarro que originou um problema pulmonar. Talvez…

É Véio… você vai deixar a Véia sozinha… a sua tão querida Véia… vai deixar saudades para sua netinha e seu filho… suas piadas não terão mais graça para os seus amigos pingaiados… e para mim você fará falta nas minha motocadas.

É Véio talvez não era de seu conhecimento, mas você e seu bar fazem parte da minha vida em cima de 2 rodas, e por isso que você será sempre lembrado com muito carinho por mim.

Vá Véio… vá ao encontro do Grande Piloto…

Abraços

Seo Craudio

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: