Arquivo | Cultura de Privada RSS for this section

Dunlop Metzeler Michelin Bridgestone – qual pneu usar?

Dunlop Metzeler Michelin Bridgestone – qual pneu usar?

Essa é uma pergunta frequente na hora de trocar os pneus da moto especialmente para as Harleys e bem mais especificamente para a Fatboy, e mais específico ainda o pneu traseiro.

Fora o gosto pessoal, cada marca “promete” fazer uma coisa a mais que outra e claro cada uma tem suas especificidades como qualquer outro produto. Michelin é mais macio que Bridgestone, Metzeler é melhor custo benefício que Dunlop, mas Dunlop é original, e assim ficamos girando… em círculos.

O que quero dividir aqui com vocês não é dizer qual é o melhor, longe disso, mas quero deixar minha experiência com pouco mais de 3 anos com a Fatboy, e assim talvez ajudar ou atrapalhar sua decisão na hora de trocar o pneu.

As HDs saem de fábrica com o pneu Dunlop D407 200/55-17, (mas algumas saíram com outro modelo –  a minha por exemplo) e eu tive a “oportunidade” de testar os dois modelos sem saber ou reparar que havia alguma diferença entre eles. Na prática o primeiro original durou 16000 km enquanto que o 407 aguentou apenas 9ooo km deixando-me extremamente decepcionado e até mesmo preocupado com tamanha diferença de durabilidade pois o piloto (eu) sou o mesmo (ou será que engordei tanto assim?) ando de moto do mesmo jeito de sempre com uma tocada sem acelerações fortes nem freadas bruscas e com isso ficou a pergunta:

“O que mudou para ter uma diferença tão grande na durabilidade?”

“Estaria o pneu com algum defeito colocando minha vida em risco?”

O segredo nesse caso é uma diferença de código pois teve uma leva de HDs que saíram com o pneu D205, que tem uma composição mais dura e por sinal ‘uma grande longevidade, “quilométricamente” falando‘ – segundo a própria Dunlop.

Do ponto de vista financeiro será que a promessa de maciez/aderência vale, considerando primeiro o estilo da moto e segundo o preço abusivo que pagamos aqui? Não creio. Mas… seguimos a vida rodando…

Continuando com minhas experiências, ouvia-se muito bem que custo benefício são os pneus da Metzeler. Vários amigos estavam usando e eu com mais uma ‘oportunidade’ de trocar o pneu traseiro acabei ganhando de presente do sumido mas nunca esquecido amigo Mazzo.

No caso um Metzeler Me880 Marathon. Como resultado foram os mesmos 15ooo km. Nada mal mas nada além do esperado e como tinha que trocar mais uma vez, resolvi fazer uma nova experiência com o Metzeler agora pensando mais na estética do que na durabilidade.

entre o nada e lugar nenhum

Coloquei um 210/50-17 também da linha Marathon. Pneu extremamente macio e mais largo que além de preencher o gorducho para-lamas da Fat tinha tudo para dar uma pilotagem tranquila com mais área de aderência, certo? Negativo. O pneu mais largo na Fat dificulta o traçado nas curvas deixando-as mais “quadradas”, e por consequência passando mais insegurança para o piloto. É bonito na moto? É, mas não usarei mais e não recomendo. A durabilidade? Com apenas 5ooo km tive que trocar.

Metzeler 210/50-17

Como a troca precoce era parte do pacote eu já estava há algum tempo pesquisando e foi quando deparei-me com uma bela promessa:

“…MICHELIN Commander II: o novo padrão de durabilidade, pode durar até 40.000 km no pneu traseiro. A durabilidade é quase o dobro em relação aos seus concorrentes diretos*. Possui excelente pilotagem e estabilidade, com um look inovador e espetacular…”

E ainda fornecem a referência do comparativo (o que é ótimo):

“…Comparação baseada nos resultados de MICHELIN Commander II vs. METZELER ME800 e DUNLOP D407/D408 nas dimensões 130/80 B 17 (DIANT) e 180/65 B 16 (TRAS). Os resultados podem variar em função do tipo de veículo e das condições de utilização…”

MICHELIN Commander II

Estou ciente que o comparativo não foi feito com o mesmo pneu que uso, não é o da Fat, mas usei o seguinte raciocínio 🙂 :

40000 km é muito, não acredito, mas se durar 20ooo já será um avanço.

Agora é esperar para ver no que dá. Já se foram 12ooo km, o pneu passa segurança tanto no seco quanto no molhado, ele tem um design bem adequando a minha moto e ainda deixa o para-lamas bem cheio e o preço foram razoáveis 850 dinheiros.

Fica agora a minha promessa de avisar com quantos km troquei o danado. Quando eu for trocar aviso aqui no “Cultura”.

Fatboy na Rio Claro Araras

Let´s Ride!!!

Seo Craudio

ps-Segue uma tabela com todas as medidas dos pneus das HDs

http://www.hdwheels.com/Product.htm

Calendário Janeiro 2014… agora adiantado…

Cansei de reclamar que o ano foi corrido, e o mês de Dezembro não foi diferente… Viagens a trabalho, filhos, mais trabalho, filhos… E no final pouca motocada, na verdade em Dezembro nenhuma motocada :(, não sobrou tempo nem para providenciar o calendário de Dezembro, mas me redimo aqui antecipando o Calendário de Janeiro fazendo uma homenagem ao amigo Shummi dono deste espetacular Belair 56.

Encerro o ano por aqui agradecendo a todos vocês que acompanharam o Cultura de Privada que este ano foi bem ‘fraquinho’ em matérias e  “causos”, mas ano que vem deixo a promessa de um ano mais informativo ou ao pelo menos mais divertido.

Feliz Ano Novo, e que “venga 2014”

Belair 56

Belair 56

Abraços

Seo Craudio

Os números de 2012

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

About 55,000 tourists visit Liechtenstein every year. This blog was viewed about 170.000 times in 2012. If it were Liechtenstein, it would take about 3 years for that many people to see it. Your blog had more visits than a small country in Europe!

Clique aqui para ver o relatório completo

Calendário Outubro 2012

 

 

Chegamos no Outono… Não aqui, mas lá do outro lado no futuro a China.

Mais uma viagem para lá, onde sempre fico feliz por poder passar mesmo que por poucos dias, em Hong Kong. Lá dia 1 foi celebrado o Festival de Outono, onde o país inteiro entra em festa por 1 semana.

Mas o melhor de ir para lá, poder voltar e matar a saudade da família, e claro, da motoca.

Aqui uma bela bucovicinal entre Tambaú e Cachoeira de Emas.

 

Let´s ride!

Seo Craudio

 

Calendário Setembro 2012

E o ano voando…

Faltam apenas 3 meses… Sim 3 meses para o Pedro chegar ao mundo, que é da cor que cada um pinta, sorte do Pedro que aqui em casa tudo é azul…rs.

Setembro além de comemorarmos a independência(será?) do Brasil, também comemoraremos o aniversário do SombreroS, meu Moto Coisa como carinhosamente chamamos, e como a filosofia sempre foi “portas abertas para as pessoas do bem”, você também pode ir, já está convidado 🙂

E por fim então, o calendário de Setembro, espero que gostem de mais essa foto que fiz em um ponto estratégico em uma estradinha daquelas que amo “as bucovicinais”,  onde quando preciso respirar um pouco de “vento” ela é destino certo, especialmente perto das 18:00 onde o sol favorece qualquer fotógrafo amador com seu super Iphone profissional 🙂

 

Let´s Ride!

Seo Craudio

Diário de uma Moto – HD Dyna Super Glide – por Japa Loko.

Diário de uma Moto – Parte 1

Ola!

Meu nome e Flecha Prateada (nome estranho que me deram…)
Na verdade sou uma HD Dyna Super Glide (FXD para os mais íntimos) e sou a mais nova companheira de estrada do Japa Loko (kkkk…….. Que nome mais estranho ainda!!!).

Na verdade eu estava muito entediada e enclausurada sem direito a rodar na estrada, coisa que eu fui feita para fazer.

Eu tenho três anos de vida mas o meu ex-companheiro nunca me levou para passear. Imagina que eu rodei só 1.373kms até agora?
Ontem me apresentaram meu novo companheiro de estrada e saímos da loja para a Liberdade.
Primeira aventura foi andar no transito parado de Botafogo até Tijuca no Rio de Janeiro numa sexta-feira a noite… Foram 15kms de muita tensão mas finalmente depois de 45 minutos chegamos na Tijuca.

Sabado (10/03/2012) saímos cedo para um passeio (ah… quanto tempo não andava nas estradas que é a minha especialidade), pegamos a estrada e fomos nos conhecendo melhor um ao outro e até tiramos foto na divisa do Rio x Sampa.

Esse tal Loko realmente gosta de andar de moto pois no primeiro dia já andamos 1/3 de kms que fiz durante três anos.

Depois de exatas cinco horas de viagem chegamos na maior cidade do Brasil passando pela abençoada  Aparecida.

Tiraram algumas fotos minha e disseram que vão mostrar aos amigos da Lista Shadow 600.
Amanha terá mais uma motocada de quase 500kms até a Tijuca, na cidade maravilhosa……
Bem é isso ai ! Quem quiser me conhecer que pegue as suas companheiras e rodem com o tal to Japa Loko neste pais continental que é o Brasil!

Diário de uma Moto – Parte 2

Olá !

Aqui a Flecha Prateada escreve a segunda parte da aventura do FDS…..
Domingo antes das 13:00hrs saímos de Sampa rumo a Tijuca, RJ, e foi onde tomei o primeiro banho de chuva pelas estradas…… Estou até imunda mas com a alma lavada.

Foi muito bom essa motokada com chuva em alguns pontos da Carvalho Pinto e Via Dutra, e depois de cinco horas chegamos ao RJ, e confesso que estou meio exausta de tanto asfalto em dois dias, mas isso foi muito gratificante, afinal acho que me fabricaram para isto né ?

O meu novo companheiro me disse que eu sou muito diferente da Pérola Negra ( a ex dele……).

Está com sorriso orelha a orelha e acho que tenho uma parcela de participação desta empreitada… Como disse ontem, nunca havia andando tanto em tão pouco tempo, somando ontem e hoje rodei 887 kms o que foi um recorde!

Agora estou mais experiente nas estradas com 2.276kms rodados, mas tenho de me preparar, pois me avisaram que o meu companheiro andou mais de 100mil kms com a ex-dele, a Perola Negra… Será que vou aguentar andar tanto assim ?

Ah, em Sampa o Japa nem levou a Fatima (a Patroa) para passear comigo (ele me disse que o meu banco é muito desconfortável…) mas ela tirou uma foto comigo!

Beijos e abraços para todos os amigos do Japa….

Ps. Quando que poderei motocar de novo ???

E Sua Visão Como Está?

Uma campanha bem elaborada feita pela Richter 7 para o Departamento de Segurança Pública de Utah, chama a atenção de uma das coisas que eu sempre tive muito medo ao andar de moto: NÃO SER VISTO.

Assim como a colisão traseira entre automóveis é um acidente rotineiro, essa também é uma das maiores causas de acidentes com moto, onde a situação é muito pior (claro sempre com a moto é pior). 😦

Então para nós amantes das duas rodas, vale a regra de sempre:

. Ficar ligado nos retrovisores ao parar no sinal vermelho.

. Nas estradas evitar andar abaixo da velocidade permitida.

E para nós, também amantes das 4 rodas, vale ficar sempre atento e respeitar os limites de velocidade.

Aproveito e deixo aqui uma pergunta:

-E SUA VISÃO COMO ESTÁ?

Copie imprima divulge.

Abraços

Seo Craudio

Les Paul…

Pois é pouco a dizer a não ser bater palmas para o Zé Google…

… que fez uma singela homenagem a Les Paul.

 

Sorte a nossa.

Abraços

Seo Craudio

Nada para fazer…

Quantas vezes a gente não se pegou meio que reclamando que apesar de não termos tempo para nada muitas vezes também não temos nada para fazer?

E foi assim que acordei em um Sábado de uma promessa de sol, pois a neblina ainda estava pesada, e enquanto ficava na garagem degustando um café “espresso” e admirando a Felícia veio a ideia de fazer o “nada”… na estrada.

Pega a jaqueta, coloca bota, veste o colete e enquanto eu tirava a “mosquitada” impregnada na viseira do capacete pensava por onde eu iria fazer tão nobre ação… e… bingo: vou dar a “Volta pelo Centro do Universo Mundial”.

Abre parênteses. Há alguns anos atrás, quando eu ficava sabendo que um amigo iria motocar e passar aqui pela região, eu sempre o convidava para um café com pão de queijo, ou uma cerveja gelada, ou um copo de água ou só para um abraço mesmo, e  faço isso até hoje com o maior prazer, mas um dia o Taz que mora em São Paulo disse: “…o Seo Craudio acha que mora no Centro do Universo, pois independente para onde estamos indo ou vindo, ele pede para passar na casa dele…”

Nascia aí o apelido carinhoso que adotei para Rio Claro, C.entro do U.niverso mundial. 😛 Fecha parênteses.

O caminho é bem simples mas bem variado de tipos de asfalto, só faltou uma “serra” cheia de curvas para dar mais emoção, mas as minhas tão queridas “bucovicinais” já foram o suficiente para em alguns momentos dar uma paradinha para contemplação… quer dizer praticar o “nada”.

O começo é quase sempre pela Wilson Finardi e na sequência a Anhanguera duplicada quase perfeita mas nada de ficar muito tempo nela, pois além de um lindo dia de céu azul, o “nada para fazer” me dava todo tempo do mundo. Na sequência e sem pressa peguei a vicinal que segue em paralelo com a Washington Luiz com traçado sinuoso mas leve e muito gostoso de percorrer além de passar por Cascalho (uma hora dessas ela aparecerá em “Homologações”), despois o centrinho de Cordeirópolis, Santa Gertrudes e só aí que entrei na Washington Luiz mas também em um trajeto pequeno pois quando já estava cortando C. U. (Centro do Universo Mundial) ao meio saí para a esquerda cruzando um dos bairros “barra pesada” para pegar a ligação para Itirapina em uma bucovicinal de cinema.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Pois bem, depois de 80 e poucos kms feitos em algumas horas, fica fácil concluir que quando se tem moto na garagem você SEMPRE tem algo a fazer… nem que seja dar uma polidinha nos cromados 🙂

Abraços

Seo Craudio

Homologações – Itirapina

Aqui começo uma nova série no Blog : HOMOLOGAÇÕES.

E estas “homologações” são/serão, lugares que recomendamos que os amigos conheçam. Pode ser uma cidade, um bar, um moto-clube, enfim…Por trás disso na verdade, só mais um motivo para andar de moto.

E para começar Mineiros do Tietê e Itirapina.

Final de semana precisamente dia 16 de Abril, eu mais o Pilão resolvemos sair meio que sem destino por algumas estradas que a muito tempo eu não passava. Sentido Oeste mais para o Noroeste. O destino o 2° aniversário do MC Amigos da Estrada, lá em Pederneiras… Quer dizer, era uma ideia…  se chegaríamos era outra história.

O dia estava perfeito para andar de moto, aliás outono é a melhor estação do ano para isso, céu azul, levemente frio (um calor de rachar), e nenhum compromisso, nem de partida nem de chegada e muito menos de retorno. Encontro com o Tiozinho, quer dizer Pilão, aqui do lado de casa mesmo, na Wilson Finardi, e depois dos beijos e abraços seguimos rumo a Charqueada onde paramos para uma água gelada e um sanduba (sim já passava de meio dia).

Papo quase em dia, seguimos pela mesma pista agora com destino a serra de Torrinhas de onde se tem uma bela vista para a represa do Tietê. Paradinha para o Tiozinho abastecer os pulmões de gás carbônico, fotinhos e simbora sabe lá por onde… “_Só sei que tem que virar para esquerda 🙂 “

Andando por uma estradinha ruim a beça uma placa com um nome de cidade curioso: Mineiros do Tietê. Caracoles, será que tem algum parente da minha esposa de Valadares aqui? 🙂

A essas alturas os braços  já ardiam devido ao sol forte, e o tanque de combustível pedia uma cerveja gelada, somando tudo então, entramos na mega cidade de Mineiros… Parada para abastecer, e eis que vem um aviso da mesa do lado: _Aí camarada, seu pneu traseiro está murcho!

Utisgrilo, e não é que estava mesmo. Mas como os anjinhos estavam de olho, não é que o borracheiro era bem ao lado! Em 3 minutos o pneu estava cheio de novo, e assim então resolvemos continuar a peregrinação rumo a Pederneiras,  mas não sem antes dar uma voltinha na cidade, e fica a recomendação de uma visita por lá sim,  não tem algo de especial a fazer, mas quer melhor?

Chegamos em Pederneiras no final da tarde e nem deu tempo de desligar o motor da moto já ouvi um grito de longe: fala Careca macho!

Que surpresa agradável o grande amigo Carlão Jau estava lá para nos recepcionar, e mais que isso, ele era quase o dono da festa. Nem preciso falar a baita atenção que o cabra deu para nós “excrusive” pagando a primeira gelada.

Para ver mais do Aniversário do MC acesse o site da Toco, Toco na Estrada, motociclista de primeira que fez e faz a cobertura jornalística desta e de outras tantas festas.

Divididos entre a vontade de ficar e a de continuar a motocada, resolvemos por seguir viagem aproveitando a temperatura para lá de agradável e a Lua forte iluminando a estrada. Que Delícia!!!

Decidimos ir por um caminho mais seguro, a SP-225 duplicada e pedagiada, mas não para motos (ainda), e o ronco do estômago misturado com os roncos dos motores sinalizavam que na próxima cidade seria o local ideal. E assim chegamos em Itirapina Mal entrei na cidade pensei: ” aqui vai rolar uma HOMOLOGAÇÃO”.

E não deu outra. O “trinômio” mais que perfeito: praça, igreja e boteco, e no caso botecoS. Uma grande iniciativa da prefeitura que criou um belo espaço de convivência com várias “barraquinhas” de alvenaria limpas e bonitinhas cada uma com sua especialidade, de comida chinesa a cachorro quente, e tudo isso com um belo paisagismo com calçadas sinuosas e cercado de muito verde. Parabéns Itirapinenses.

De Itirapina para C.entro do U.niverso, também conhecido como Rio Claro, não leva mais que 30 minutos. 30 minutos de pura reflexão de o quanto foi gostosa a motocada, que começou meio tarde, emio no vou não vou, e acabou seguindo noite adentro.

Ah! No domingo fui solo para uma visitinha rotineira em Sapezeiro, e de lá uma pré homologação em Elias Fausto, mas isso é para o próximo post de HOMOLOGAÇÕES.

Abraços

Seo Craudio

Este slideshow necessita de JavaScript.

%d blogueiros gostam disto: