Archive | junho 2009

Inspeção diária na sua moto

Fazer uma vistoria na motocicleta diariamente antes de utilizá-la é fundamental para garantir uma pilotagem segura, seja para ir trabalhar ou para longas viagens.

DSC09135

Vale lembrar que nem sempre há assistência mecânica por todos os lados, e principalmente mecânica especializada na sua moto,  por isso é importante que a moto esteja sempre em condições ideais de funcionamento, pois com a revisão de apenas alguns itens é possível prevenir problemas em comandos e manter as peças e acessórios em ótimo estado.

Para lidar com estas situações, segue uma série de dicas que auxiliam na manutenção da motocicleta.

A revisão completa de diversos componentes leva poucos minutos e deve ser feita, preferencialmente, com o motor em funcionamento para verificar ruídos estranhos, vazamentos ou parafusos soltos. Essa prática diária assegura excelente conservação da motocicleta.

  • Pneus e Rodas
    Usar pneus em perfeitas condições garante um deslocamento seguro. Por isso, antes da pilotagem, é aconselhável conferir se a calibragem está de acordo com as especificações do Manual do Proprietário. Se for trafegar com garupa, por exemplo, o pneu traseiro deve receber pressão maior, especificada no Manual do Proprietário, para compensar o peso extra. Outra dica é observar a presença de objetos presos, como cacos de vidro e pedras, e verificar se algum raio da roda está quebrado, pois pode perfurar a câmara de ar.

 big_yamaha_wr125x_2009_15

  • Comandos e Cabos
    As folgas dos pedais dos freios dianteiro e traseiro, bem como a da alavanca da embreagem, devem estar reguladas com a medida média de 20mm. Também é importante fazer o check-up da regulagem e lubrificação dos cabos de embreagem, do acelerador e do sistema de freios.

 chief roadmaster

  • Freios
    O sistema de freios tem que estar devidamente regulados e lubrificados. Se o freio for hidráulico, deve-se ainda verificar semanalmente o nível do fluido que, se estiver abaixo do mínimo estipulado, pode sinalizar vazamento ou desgaste excessivo da pastilha.

 xvs950_20 (Large)

  • Luzes e Parte Elétrica
    Durante a inspeção, é importante observar se todas as luzes (de freio, piscas, lanterna, farol e painel) estão funcionando. Qualquer problema em  um desses equipamentos é considerada infração média, segundo o Código de Trânsito Brasileiro, com penalidade na carteira de habilitação e multa.

 xvs950_35 (Large)

  • Filtros de óleo e de ar
    Deve-se atentar também para a troca do filtro de óleo e limpeza do filtro de ar. Para não comprometer a lubrificação do motor, o primeiro deve ser limpo ou substituído de acordo com a tabela de manutenção do Manual do Proprietário de cada modelo. Já o filtro de ar, por reter muitas impurezas, tem de ser limpo periodicamente (e substituído quando necessário) para evitar desgaste prematuro dos anéis e cilindros do motor. Se o mesmo for de espuma, é necessário lavar com querosene e reaplicar óleo de motor, espremendo para tirar o excesso.

 90729604_MfMsV-O-1

  • Óleo e Combustível
    Para manter o bom funcionamento do motor, é recomendada a verificação diária do nível do óleo lubrificante do motor. Se estiver abaixo do nível recomendado, deve-se preencher ou efetuar a troca completa, conforme a necessidade, sempre seguindo os procedimentos descritos no Manual do Proprietário. Lembre-se também de verificar o nível do líquido de arrefecimento, caso a motocicleta seja dotada de sistema de arrefecimento líquido. É importante também verificar se o combustível está chegando normalmente ao carburador. Para isso, é necessário desapertar o parafuso de drenagem.

 big_bmw_s_1000_rr_26

  • Corrente
    Para que o sistema de corrente, coroa e pinhão não seja prejudicado siga sempre a recomendação do fabricante, se for lubrificar com óleo 90, o ideal é sempre a cada 200km, para quem prefere o caro Motul, lubrificar a cada 1000km, no entanto um detalhe muitas vezes esquecido, após aplicar esperar 15 minutos para que o óleo fixe bem na corrente. Se em seu caminho tem estradas de terra, o sistema deve ser lavado e lubrificado. Outra dica importante. Quando for lubrificar, principalmente com óleo em spray, tomar o cuidado para não “melar” o pneu, por motivos óbvios e caso a corrente esteja solta ou tencionada, ajuste a folga de acordo com as especificações descritas no Manual do Proprietário, e considere sempre se você estará sozinho ou com garupa.

 

  • Bateria
    No caso de bateria não selada, é necessário verificar o nível da água e conferir se os terminais estão oxidados, limpando-os, posteriormente, com uma escova e com uma solução de água e vinagre.

 

Para ter certeza de uma viagem segura, é importante que todos esses cuidados em relação a cada componente da motocicleta sejam observados e que na medida do possível leve consigo um kit extra, composto de jogo básico de ferramentas, câmara de ar, fusíveis, lâmpada de farol e da lanterna traseira para o caso de qualquer imprevisto. É importante lembrar que, sempre que surgirem dúvidas, o melhor a fazer é consultar o Manual do Proprietário, ou ainda um amigo que já tenha passado pelo problema.

É isso aí, este texto foi elaborado por mecânicos da Honda, e eu fiz algumas alterações, e acredito que seguindo as recomendações acima, você só tem a ganhar, pois alem de ficar conhecendo sua moto como ninguém ainda vai economizar um bom dinheiro.

Abraços

Seo Craudio

Fechando a homenagem… papel de parede

marauder marota

Para deixar como papel de parede

1 – clique na foto

2 – clique na foto ampliada com a tecla direita do mouse e selecione – definir como plano de fundo –

Fácil.

Abraços

Seo Craudio

Continuando a homenagem…

Continuando a homenagem a essa moto que só me trouxe alegria, segue um email que enviei aos amigos quando comprei a moto.

“…Pois bem, sexta-feira fui pegar a Marota. Que alegria, graças ao amigaço Coelho tudo certo, ele foi na rodoviária do Tietê e depois me levou para Guarulhos, até entendo que foi fácil, afinal o cara mora em Interlagos. Chegando lá (GPS motos) foi amor a 2° vista, a moto era do Fabião, e eu inclusive já tinha andado nela, mas isso a mais de 6 meses e confesso, ” nem lembrava direito como ela era.”

                         a - o amigo Cueio          b- de saída

Ao sair coração batia forte, apreensivo, com medo mesmo, pois passaram-se 1 ano e 43 dias sem moto.

Será que seria eu capaz de andar com uma moto diferente da Shadow?

Andar pelo trânsito paulista? Saberia eu fazer curvas ainda?

E o vento?

Será que eu suportaria?

Será que o torque não me jogaria para fora da moto?

Enfim, todos os questionamentos idiotas desapareceram assim que sentei e liguei a Marota (re-batizada pelo Rava). Despeço-me então do Coelho e sigo para a 1° abastecida. No tanque ainda 3 litros de gasolina, e agora a única preocupação era saber se a moto, que ficou muito tempo parada, não teria problemas de carburação e que me deixaria a “Meriva” (carro de taxista).

Que nada, a danada é Marota mesmo, esperta feito cão perdigueiro, ágil feito raposa, rápida como o Coelho, e linda feito um Puma. (eu sei estava viajandão)

Que maravilha, meu sorriso ia de orelha a orelha, e de repente passa um moto-boy gritando – tá bonito em SombreroS ??? Buzinadinha e sigo rumo a Fernão Dias. Curvas e curvas, tráfego pesado, muitos caminhões, e eu retomando o traquejo, quase esquecido, acelero e sigo ganhando confiança. O dia estava lindo (aos meus olhos), mas as nuvens do meio da tarde paulistana avisavam: em breve teste de coxinha pela frente.

Ao chegar na D.Pedro, não deu outra, pingos ardidos em meus braços, pois devido ao calor segui imprudentemente só de camiseta e colete, afinal PRECISO DE VENTO, QUERO O SOL QUEIMANDO MEUS BRAÇOS, QUERO SENTIR MINHA PELE REJUVENESCER COM O VENTO DA LIBERDADE.

Acelero mais e a Marota é firme, forte e estável, alguns quilômetros a frente chega o caminho ideal onde toda moto deveria ser batizada : AS BUCOVICINAIS DE MORUNGABA.

c- na estrada do batismo

A cada curva da Bucovicinal de Morungaba uma história… Lembrei da 1° vez que conheci o Tonhão, com um casaco que inflava feito paraquedas, do Edu parado me esperando, eu mesmo tirando várias fotos da Monstruada em um dos pontos mais bonitos da estrada, de rever o amigo Taz, do 1° protótipo feito pelo Léo SJK do que viria a ser o fim do desaparecimento dos paraputinhos. Filmes e mais filmes na minha cabeça surgiam na velocidade que apareciam cada curva. Em Morumgaba paro para o 2° abastecimento e ao olhar no velocímetro 99,9 km, que lindo … tiro a média = 20 cravados. Xou.

Marota nas bucovicinais de Santo Antônio de Posse

Quando cheguei em Amparo, terra que tenho muito carinho por ser terra natal de minha avó, paradinha para uma oração a ela, e sigo com destino a São Antônio de Posse, cidade pequena mas com muito tráfego me obrigando a seguir a 20, 30 km.

Marota0009

Entre os motores de caminhões e carros, ecoava o som da Marota, forte, limpo, estrondoso, que moto. Da chuva até então só aqueles pingos. Às vezes percebia que a chuva tinha acabado de passar ali a alguns minutos como que limpando o caminho para a nossa passagem.

g- chegando nas beiras

Cheguei em C.U. as 19:00, depois de 3 horas e meia de viagem, e 270 km de felicidade, 270 km de rejuvenescimento. Fabião, Léo, Tonhão, Samuka e Coelho – vocês foram geniais. A todos da lista que ficaram na torcida para que esse dia chegasse, ele chegou, e a todos vocês MEU MUITO OBRIGADO, pode parecer piegas, MAS SÃO VOCÊS MEUS AMIGOS, QUE FAZEM A VIDA VALER.

Abraços

Seo Craudio

texto escrito e publicado em 20/12/2005, no grupo de discussão Shadow600, a Lista Mágica.

Uma homenagem…

Hoje a Marota se foi. Saiu da família “ucho” … foram quase 4 anos.

A comprei do amigo Fabião depois de um jejum de mais de 1 ano sem moto. Então imaginem só: a moto dos meus sonhos agora na minha garagem.

Com ela fui a muitos lugares… até o Chile, pensa…

DSC09240 (Large)

Com muita honra e alegria passei-a para meu irmão, sua primeira moto (ele pagou claro, mas foi como um presente 🙂 ).

                         DSCF1998          DSCF2076

Fizemos então nossa tão prometida primeira motocada, e de cara o Dan se sentiu a vontade como quem nascera para isso. E assim com ela o Dan também ganhou o mundo, ganhou namorada e ganhou também um brasão.

DSCF5296

É… a Marota se foi, mas toda a alegria que ela trouxe nunca será esquecida nem por mim e principalmente pelo o Dan.

Parabéns ao novo felizardo proprietário, e que ele também tenha muitos quilômetros de felicidade com ela a sempre Marota.

Marota e Flicka

Abraços já com saudades

Seo Craudio

%d blogueiros gostam disto: