Archive | fevereiro 2008

Imagem do Dia

dscf3471.jpg

Uma placa especial para quem além de esposa, amante e amiga é uma excelente… GARUPA.

¿ Concordia o no ?

Como ficamos um dia a mais em Posadas deveríamos entre aspas ganhar esse dia na estrada, a princípio o destino seria Colon divisa com Payssandu coisa em torno de 700km.

Rodar 700 km novamente seria muito desgastante, e além disso soubemos que na fronteira entre as duas cidades a Aduana Uruguaia está dificultando ao máximo a travessia como uma forma estúpida ( a meu ver ) de protestar contra a entrada de produtos argentinos em seu país.

¿ Bueno entoses hacer o que ?

Seguir adiante pela ruta 14 até onde desse.

dscf3488-medium.jpg

Sobre a ruta 14 

Saindo de Posadas ela segue boa, ou melhor no padrão argentino, pista simples sinalizada e pedagiada, com um resultado relativamente legal, possibilitando uma boa tocada, no entanto 70 antes e 70 depois de Paso de los Libres a coisa fica muito estranha.Ela passa por reforma então em vários trechos a temos fresada, em outros recapeada mas sem sinalização nenhuma, em outros ainda com paradas sinalizadas sempre por operários bem simpáticos que acenam com sua bandeirinhas em resposta a buzinada da moto.Fora isso o trafego de caminhões e treminhões aumenta conforme se aproxima de Paso, e depois piora bastante. Para um futuro teremos a ruta 14 toda duplicada e as obras estão em ritmo acelerado, o que é legal, mas para agora deixa a estrada cheia de torrões de terra que caem dos basculantes.

A recomendação é : Só trafegue nela durante o dia.

dscf3478.jpg  Bem  

Então diante de tudo isso somado ainda as altas temperaturas chegando fácil aos 35ºC, só nos restava uma alternativa :CONCORDIA. E foi onde chegamos depois de 570 km e 8 horas de viagem, o que nos fez correr a tirar as roupas e brindar por mais essa motocada.

dscf3505-medium.jpg ps – Gordo é a …. … .. …..Abrçs

Seo Craudio

Um Dia de “Nada” para Fazer

Foi com isso em mente que resolvemos ficar um dia a mais em Posadas. A cidade realmente nos encantou. Era como se já tivéssemos morado por lá, tudo era familiar, tudo era natural.

 dscf3417-medium.jpg Se

 

 

Se perguntarem o que tem para se fazer digo com tranqüilidade : NADA. 

Mas é um nada que é tudo.

A cidade na região central é muito bem arrumada, tudo certinho limpo e organizado, e o melhor: nos passa uma sensação de segurança. Mas não pense você que a cidade é aquela de interior devagar quase parando. Não não, ela é bem agitadinha, o comércio abre as 8 e a partir daí é gente circulando para lá e para cá, até que dá meio-dia e alguém deve gritar do alto da catedral : PARE!

 

 

 

dscf3414-medium.jpg

 

 

 E tudo fica muy tranquilo, tudo se acalma, os carros desaparecem ou permanecem estacionados, as pessoas somem quase que instantaneamente, as lojas “cerram” as portas e assim ficam por 3 horas, isso mesmo 3 horas de almoço e “la siesta”. Poxa vida que delicia seria se nós também tivéssemos isso em nossa rotina… Afinal a vida não é só ganhar dinheiro… a se pensar… Enquanto a cidade “dormia” a gente passeava vagarosamente de moto sem ninguém para buzinar ou nos apressar, até lavar a moto eu lavei graças a uma chiquita muy gentil.

dscf3451-medium.jpg

 

 

E assim se foi, e ao final da noite estávamos cansados de tanto NADA que fizemos, e muito felizes por passar pelo menos algumas horas em Posadas que ficou mesmo no coração.

dscf3459-medium.jpg

Foi assim, abraços

Seo Craudio

Frase do dia.

Tomando um chope ( na verdade foram 3 ) em Posadas, já banhados e cheirosos com as unhas limpas… surgiu essa : 

17-cafe-vintage.jpg

“Somos abençoados por Deus e claro, bonitos por natureza…”

Imagem do dia

13-botao-de-pedagio.jpg 

No “peaje” no se paga, pero tiene que pulsar ao butao.

Locos para hablar espanishit

Pois é, acordamos cedo em Cascavel e depois de pegar dinheiro, abastecer, tirar fotinhos de Cascavel, seguimos bem forte até Foz.

Porra chegando em Foz bateu saudades do casal Mad e Jane, afinal andar pelas ruas de Foz, as mesmas que rodamos, foi como rever o filme do ano passado e está assim até agora…

 

 

09-na-divisa.jpg

 

 

 Acho que era o dia das mulheres, quer dizer começamos logo depois de passar a ponte sobre o rio Iguaçu, ou Iguazu, parando no Free Shop argentino, muito bonito, com tudo que é coisa que não presta : wisks, conhaques, charutos, perfumes, óculos, bombons, tênis, enfim… GRAÇAS A DEUS ESTAMOS DE MOTO – pensei, mas mesmo assim Dona Vera conseguiu um espacinho no alforge. Na travessia pela aduana e depois na migração foi tudo “tranquilo”, e aqui uma bela “chica” nos ajudou, talvez pelo meu charme, vai saber, e nos liberou de uma bela fila de vistorias em coches en pedacitos.

 

10-placa-de-bem-vindo.jpg

De novo, rasgar a ruta 12 sem o casal Jane e Mad foi de doer. A toda hora olhava no retrovisor na espernça de ve-los…

 

 

 

11-ruta-12.jpg

 

 

 

 

 Na GENDARMERIA – polícia de fronteira entre cidades – e acá outra “chica” foi muito legal com a gente e não perdemos nem 5 minutos lá.

O sol estava muy fuerte e la carretera muy tranquila, no entanto el horizonte que sei lá onde era todas as nuvens que sumiram de Londrina estavam guardadinhas nos esperando…

Que mierda …Paramos antes de a chuva despencar já no lugar de costume ( quanta metidez … ) e o pedido não poderia ser outro : “dos alaminuta completa – milaneza, huevo e papas fritas … mama mia.

14-alaminuta.jpg

 

Seguimos a viagem e aqui um detalhe importante: A gasolina na Argentina está sendo racionada, o posto YPF, agora REPSOL, está com dificuldades de entrega, então criaram uma regrinha para brasileiro, se quiser abastecer tem um ágio ou então a limitação de apenas 10 pesos por moto, ou seja quase nada.

Vale lembrar que a gasolina aqui é muy barata, cerca de R$ 1,20 a R$ 1,80.

Depois de jogar novamente o charme para uma frentista tiazinha que abriu mão e colocou 15 pesos, o suficiente para chegarmos a Posadas, tô falando que foi o dia das “chicas”.

Um pouco antes de Posadas, coisa de 50 kms o céu despencou, e nos pegou sem as malditas capas, e claro molhou tudo, da orelha ao saco, alias este foi o primeiro a molhar.

Chegamos em Posadas as 7 da noite, mas aqui o fuso é pra frente ou seja chegamos com 1 hora a mais de idade. 

Inté o próximo 

Seo Craudio

700. Esse era o número

Sabe como é… assalariado tem férias e isso é legal. Porém ela tem dia para começar e principalmente para terminar.

Por isso o dia de Domingo tinha um número : 700.

700 Km de Botucatu à Cascavel no Paraná. Com isso ganharíamos 1 dia a mais na terra de los hermanos, seja eles Ar rentinos ou Uruguajos...
Acordamos de ressaca pós batizado e lá fora chuva fina e temperatura em queda, o que de certa forma já nos deixou apreensivos. ” Vamos tocar até onde der”.
Partimos as 10:00, já com as capas de chuva e todos sabem que nós motoqueiros ADORAMOS as capas de chuva, mas mesmo assim o sorriso não saiu do rosto, afinal ESTAMOS DE FÉRIAS, e como diz a máxima MAIS VALE UM DIA ANDANDO DE MOTO NA CHUVA DO QUE UM DIA TRABALHANDO.
Na despedida um abraço de cada irmão Sombrero com os devidos votos de boa viagem e só com isso já bastaria para seguir a viagem com o sorriso de orelha a orelha, e para completar a alegria a presença do Rava por pelo menos uns 150 km. ( valeu Rava, foi uma honra te-lo conosco ).

 05-rava.jpg


A chuva foi ficando para trás conforme avançávamos e ao chegar em Ourinhos – ponto de despedida do Rava – ela ficou mais longe e a temperatura mais alta. 

 

 

 

Muitos pedágios entre Ourinhos e Foz, e em todos as MOTOS PAGAM e é CARO, na média 4 reais. Com isso é de se esperar que as estradas estejam em boas condições e de fato estão, o que fez com que a tocada fosse boa e segura; se bem que o asfalto poderia ser de melhor qualidade e pelo preço cobrado as pistas deveriam ser duplicadas.   

Já sem capa ( desde Ourinhos ) as vezes ficávamos molhados pela chuva repentina, mas em alguns quilômetros já estávamos secos novamente prontos para outra “ducha”.

A visão do horizonte sempre prometia um temporal, mas eis que depois de Londrina, ele o já esquecido Sol, resolveu aparecer e as nuvens fizeram justamente o contrário deixando o céu azulzinho, deixando a viagem mais tranquila… o que nos fez retomar um velho sonho… os 700 km.

 

 

06-casal.jpg

 

Tocamos forte em uma pista sem movimentos, contrariando a previsão de muitos caminhões afinal era Domingo.

O dia foi se acabando, o sol se escondendo e a nossa quilometragem subindo, e assim as 19:20 paramos em Cascavel com 718 km a mais na bagagem.

Jantamos no hotel mesmo e ali ficamos … namorando… hum que delicia…

 

 

08.jpg

 

 

 Inté outro post 

Seo Craudio.

Era dia de Batizado em Botucatu

Pois é a pergunta era : Por que Botucatu ?
Lá foi o local escolhido para realizar o batizado de um já afilhado de coração e que agora tem um padrinho oficial.
Coisa linda, todo mundo ali, I N C R E I B L E !!!
Todos juntos, inclusive com suas amadas, teve gente que foi até de moto, imagina… Teve gente bem arrumada, outros como sempre, alguns passaram até perfume e outros ainda pentearam o cabelo, menos eu e mais alguns.
Como fomos os últimos a chegar a galera já estava “pronta”, mas em meia hora e algumas cervejas nós já estávamos no clima.
E foi assim que a família SombreroS ganhou mais um integrante : o Cadastro, quer dizer o já conhecido CASTRADO um cara como sempre disse : menino bom, coração idem e um companheiro ímpar.

Castrado, é uma honra te-lo conosco.

SombreroS

Esquentando os Motores…

dscf3270.jpg

Sábado, do meio para o fim da tarde.  
O tempo previsto era de chuva, mas mesmo assim saímos sem capa.
O trajeto era pequeno coisa de 150 km, era para ser como um… “Esquentando os motores”.
Que tarde maravilhosa, as bucovicinais da região de São Pedro devido as chuvas estavam rodeadas por verde, hora pelas vastas plantações de cana hora pela mata nativa da serra de Itaqueri, tudo estava lindo menos o céu que estava ameaçador.
No caminho dois grandes rios, o Piracicaba e o Tietê, e lá o sol se esforçou, se esforçou e conseguiu nos brindar com seu brilho.
 

dscf3272.jpg

dscf3273.jpg

 

Chegamos em Botucatu, no comecinho da noite, no comecinho da viagem, e lá chegando depois dos 143 kms percorridos, veio a certeza que dali para frente tudo seria maravilhoso.
Abraços
Seo Craudio

 

 

 

Expedição Rumo aos 1000

Nestes dias que antecedem a Expedição Rumo aos 1000 – amigos espalhados pelas estradas afora, recebi muitos emails e telefonemas com a seguinte pergunta :

_ e aí careca e os preparativos para a viagem ? tudo certo ?

Eu fico sem saber o que responder, pois será que tem mesmo que preparar algo ?

na-ruta-7.jpg

Para ser sincero a resposta é : não tem que preparar nada.

Em relação a documentação tem um só documento que é necessário e que posso tira-lo na divisa, em Foz do Iguaçu : a CARTA VERDE.

Uma “checagem” na moto sempre é recomendável, mas fora isso … é só montar na moto, esperar a amada subir, dar uma olhadinha para trás e sorrir para ela com os olhos… ligar o motor , fazer uma mentalização de que tudo corra bem e partir.

Seja para rodar 3 ou 10 mil kms ou para ir no buteco da 6 com a 6 as 6 , é simples assim.

abrçs

Seo Craudio

%d blogueiros gostam disto: