Archive | maio 2009

Harley Davidson e Playboy = “American Supermodel”

A ideia não é original, afinal desde 1964 que a Pirelli criou o hoje tão concorrido calendário Pirelli. Como toda boa ideia pode sim ser copiada, nós pobres mortais temos mais é que agradecer.

Sendo assim como estratégia de lançamento da  V-Rod Muscle, a Harley-Davidson junto com a Playboy lançou o calendário H-D, com nada mais nada menos que a beldade top fodel model Marisa Miller e ainda fez um trocadilho com a Muscle: “American supermodel”.

Bem então é isso, alias tudo isso só para postar as fotos que saíram na Playboy de Março na Espanha.

marisa miller 02

capa playboy - marisa miller  marisa miller 01  marisa miller 03   marisa miller 05   marisa miller 06   marisa miller 07

marisa miller 08  marisa miller 09  marisa miller 10  marisa miller 11  marisa miller 12  marisa miller 13

marisa miller 04

 

Ah, um detalhe que motoqueiro nenhum pode esquecer : nunca se perca nas curvas.

Abraços

Seo Craudio

Harley Davidson V-Rod Muscle

bike_wallpaper_1280

Para os puristas a linha V-Rod, que foi lançada mundialmente no final de 2001, foi e ainda é uma heresia. Ninguém imaginaria uma Harley-Davidson refrigerada a água e com motor desenvolvido na Europa em parceria com a Porsche muito longe da fábrica de Milwaukee.

Bem, mas para mim, um pobre mortal que sempre cede aos avanços da tecnologia, não posso deixar de comentar que sem dúvida é uma das mais bonitas motos, digamos custom, em produção.

VRSCF V-ROD MUSCLE

Tanto é, que a Harley que de tonta não tem nada, vem cada vez mais conquistando fãs pelos modelos derivados da V-Rod de 2001, uma vez que seu público formado por “tiozinhos” radicais deve ser substituído por jovens que hoje optam pelas nipônicas Honda, Yamaha, Suzuki e Kawasaki, e prova disso é o lançamento da V-Rod Muscle. Ouso em afirmar que ela é perfeita. Alia estilo custom com esportividade, tradição dos motores em “V” com o design “estado da arte”.

Na Muscle cada detalhe faz a diferença. Os piscas ficam no retrovisor, freios da Brembo, o escape duplo um de cada lado o que muda completamente o visual da moto além do formato que faz uma transição do redondo para o quadrado nas ponteiras, dá até para imaginar o som que sai dessa moto. Na traseira um belo conjunto de luz e seta tudo integrado e com led, e a placa, sempre mal resolvida em quase todas as HDs, sai com suporte lateral de fábrica.

                         detalhe da traseira          retrovisor com seta

                         painel          detalhe da roda e dos freios Brembo

No Brasil só temos os modelos V-Rod, a mesma desde 2001 com mudanças na pintura e a Night Rod Special. Portanto só nos resta torcer para que um dia a V-Rod Muscle venha para as terras do pau-brasil.

                         V-Rod          Night-Rod-Special_

Abraços

Seo Craudio

ps- Um detalhe, para o lançamento da Muscle, nada mais nada menos que a modelo Marisa Miller, super model da Victoria’s Secret para as fotos de lançamento. Mas isso eu vou deixar para o próximo post.

Imagem do dia – Flicka

Marauder 800 a Flicka

Para deixar como papel de parede

1 – clique na foto

2 – clique na foto ampliada com a tecla direita do mouse e selecione – definir como plano de fundo

Fácil.

Abraços Seo Craudio

Resgate do Bonde do Garrafão

Foi com grande prazer que consegui acompanhar de C.U. a C.U.ritiba, algo em torno de 550 km, a dupla de amigos Léo e Rornete no primeiro dia da viagem ao Chile.

moto_0038

Depois disso ficava acompanhando as notícias via torpedos, emails e posts no blog do SombreroS. E foi num estalo desses que resolvemos resgata-los na volta. A princípio iam um monte e no final fomos em 7 : Eu, Pilão, Castrado, Mugão, Parmito, Rava e Blues.

Saímos na sexta-feira, depois de longas horas na expectativa da moto do Castrado sair do estaleiro, problema já crônico das Bulevas Cadilacs, o famoso estator. Enquanto isso o Tiozinho, quer dizer o Pilão, já estava na estrada rodando mais de 200 km sem saber ainda se rodava mais 300 ou apenas mais 350… Do outro lado Mugão trancando a esposa no armário enquanto fugia pelo portão dos fundos da casa com o motor da moto desligado para evitar problemas. Pior ainda Castrado e Parmito para conseguir alvará mandaram as esposas para um SPA com tudo pago e cartão de crédito liberado… Cada coisa que neguinho faz para andar de moto que eu vou falar… mas ta valendo…

Final do dia os 5 Bonitões del Marisales por ocasião de uma bela chuva de verão se encontram a 50 km antes de Capão Bonito, cidade onde sabiamente resolvemos pernoitar.

moto_0067

Sábado, dia levemente encoberto por uma neblina densa nos levando a conclusão de que o dia seria de céu de motoqueiro, azul com algumas nuvens e temperatura amena. Não deu outra. Após dois torpedos, um do lado de cá, outro do lado de lá (Léo e Rornete já estavam no Brasil, precisamente em Erechim) com a simples mensagem : PARTIU.

O caminho era a já conhecida estrada que liga Capão Bonito a Ponta Grossa, passando por Itararé e Castro. Já em Itararé parada para abastecer e me livrei da jaqueta e fiquei todo malvadão só de colete e tatuagem… :-). A estrada é simplesmente maravilhosa, com asfalto perfeito e curvas de traçado suave e inclinação favorável era pura diversão, só raspando as pedaleiras… O bonde de cinco motos, com “negos” que sabem tocar fica uma verdadeira pintura.

dscf7276          Pilão e a Yaci

Parmito e Castrado          uma das inúmeras curvas que nos levam a Castro

e o bonde segue          fila indiana cruzada como manda o figurino

A programação de parada era em Ponta Grossa, mas como minha moto a mais gastona, tinha acabado de abrir a reserva, passei reto com a intenção de abastecer na próxima cidade, Palmeira. Bem nem tudo dá certo, e não sabia que a Yaci do Pilão estava com sede e como o mesmo não gritou…ferrou. Pane seca a míseros 6 quilômetros do posto de gasolina. Sedes matadas, a das motos e a dos motoqueiros, parada para o lanche e tirações de sarro, claro.

acabou

um brinde ao bonitão que esqueceu de avisar que estava na reserva          agora um brinde aos amigos

e oas cavalos de aço descansam          Palmeira uma cidade tranquila no interior do Paraná

os malvadões no trenzinho          um belo brasão

Todos os malvadões

A descida para São Bento foi pelo interior do Paraná, passando por locais que eu nunca sonhara que eram tão bonitos. E de bucovicinal em bucovicinal chegamos ao cair da tarde em Mafra, onde pela tocada e pelo cheiro seria o encontro dos bondes.

nas bucovicinais do Paraná

los malvadones          e por falar em malvadão...

estradas escondidas do mapa

ponto de encontro

Bingo. Em coisa de minutos lá estavam os dois cavaleiros com sorrisos de orelha a orelha firmes e sujos, muito sujos, com seus coletes formando uma verdadeira torre de babel de insetos mercosulanos.O bonde agora engrossava e assim com 7 motos percorremos os 60 quilômetros entre Mafra e São Bento do Sul, onde Rava e Blues já nos aguardavam para dar mais beleza ainda ao resgate.

engrossando o caldo

babel

motocada com o cair do dia          indo pela sombra

Ficamos no Novotel, coisa fina, piscina aquecida e cerveja long neck a 4,50, ou seja simbora para o bar mais próximo que a sede nunca termina.

Para resumir fomos dormir 4 ou 5 da manhã, e as 11 do Domingo, já estávamos todos prontos para mais um deleite nas estradas, agora descendo a Serra da Dona Chica. Nem preciso ficar repetindo. Foi lindo.

era dia de motocar (mais)

e segue o bonde          e o bonde segue

e vai seguindo          que passeio maravilhoso

no mirante da Dona Chica... para ficar para sempre

Durante o trajeto o bonde foi ficando cada vez menor, primeiro Blues que nos deixa rumando para a ilha da Magia, depois Rava em Curitiba, bem mais adiante Parmito e Castrado seguem para o show do Iron Maiden, e por final a dupla Léo e Rornete se despedem depois de mais de 20 dias juntos.

Como disse lá em cima, acompanhar a ida dos caras já era uma honra, resgata-los então foi uma questão de honra, e com muita alegria regressei de Sampa até Araras e depois C.U. com o amigo Rornete.

É foi mais uma daquelas para contar para os nossos netos…

Abraços

Seo Craudio

Como reduzir os riscos de mudança de faixa devido ao \”ponto cego\”.

Pois então, estava eu no trabalho quando recebi o vídeo do amigo bem sumido Taz, que já tinha recebido do outro também sumido Zeca. Foram 3 alegrias, pois além dos dois sumidos aparecerem o vídeo é de interesse de todos, mas principalmente para nós: os motoqueiros.

Isto foi exibido no Jornal Nacional a exatos um ano, e mostra o problema gerado pelo ponto cego nos carros e os acidentes que isso pode causar quando os mesmos mudam de faixa. Mas ele não fica só na desgraça, lá é ensinado como mudar um hábito muito comum entre os motoristas e assim se não evitar por completo, pelo menos minimizar os riscos de acidentes em decorrência do ponto cego.

Tudo é explicado de uma forma bem didática, então não vou ficar explicando e confesso que é difícil de se acostumar com a ideia, mas é muito importante rever nossos pré-conceitos.

Ainda não está convencido ? Então veja essa outra matéria exibida no Auto Esporte

É, a vida é sempre assim, quando a gente acha que já está sabendo de quase tudo, perdemos a chance de aprender mais uma.

Abraços

Seo Craudio

ps- só não entendi o que a “chica” quis dizer com 90° …. 🙂

%d blogueiros gostam disto: